A pé pelo Centro Histórico de Porto Alegre

Que tal conhecer o centro de Porto Alegre a pé?

Mercado Público

Inicie  pelo Mercado Público Central,  que foi inaugurado em 1869 para abrigar o comércio de abastecimento da cidade, aproveite para conhecer os produtos típicos da região: erva-mate, chás, condimentos, cuias para chimarrão, bucha natural,charque, mel, e quem sabe tomar um caldo de frutas, um creme de abacate ou uma bomba royal na Banca 40, para dar energias para a caminhada?

Para sair do Mercado procure a saída Largo Glênio Peres e veja onde ocorrem as principais manifestações populares e políticas da cidade, em frente você poderá observar o Chalé da Praça XV que é um dos mais tradicionais Bar Chopp Restaurante, serve comidas típicas todos os dias das 11 às 23 horas, o primeiro Chalé foi inaugurado em 1885, como um quiosque para venda de sorvetes.

Siga em direção da Rua Borges de Medeiros e  ao lado de fora do  Mercado você encontrará um Ponto de Informações Turísticas, aproveite para pegar as dicas do que está ocorrendo na cidade.

Visualizar Porto Alegre – RS em um mapa


Atravessando a Borges você estará na Praça Montevidéu e defronte à Prefeitura Municipal, ali você pode observar a Fonte de Talavera de La Reina, foi um presente da colônia espanhola em razão do centenário da Revolução Farroupilha em 1935. Sinaliza o marco zero da cidade.

Continue pela Rua Sete de Setembro até o Santander Cultural, que está instalado num prédio histórico no coração da capital gaúcha, na Praça da Alfândega.  O espaço dispõe de uma área para exposições, cinemas, restaurante, café um espaço para shows (o átrio). Não deixe de visitar a exposição no térreo, sempre com entrada gratuita. E se for domingo quem sabe compre seu ingresso para assistir ao espetáculo que ocorre as 18 horas no átrio, são apresentações nacionais ou internacionais em um espaço contemporâneo, ao preço de R$ 10,00.
Ao sair do Santander você estará na Praça da Alfândega,  era conhecida como Largo da Quitanda, onde ocorria um comércio informal. Com a instalação da Alfândega e do Cais foi denominada então Praça da Alfândega. Se você estiver por aqui entre o final de outubro meados de novembro poderá ver a maior feira do livro a céu aberto.

Na Praça da Alfândega você pode ver também o Memorial do Rio Grande do Sul que ocupa o antigo prédio dos Correios e Telégrafos e foi totalmente revitalizado para abrigar a Instituição. Surgiu, dessa forma, um centro de informação e divulgação da história do Estado.

Um pouco a frente você encontrará o MARGS – Museu de Artes do Rio Grande do Sul, que  é considerado o principal museu de arte do Estado e um dos mais importantes do país, reunindo em seu Acervo quase três mil obras de artistas locais, nacionais e internacionais. Possui um café no seu interior típico por encontros de intelectuais e um bistrô que tem uma área externa em plena praça.

Contorne a Praça da Alfândega em direção à Rua dos Andradas, ou  Rua da Praia como é chamada e essa é uma das características divertidas de Porto Alegre. Podem dar o nome que quiserem para as ruas, que as pessoas vão usar, também, o nome que quiserem. Siga até a Casa de Cultura Mário Quintana, antigo Hotel Majestic. O edifício foi posto à venda na década de setenta e, em dez anos, apenas dois interessados surgiram, os quais desanimaram frente às reais condições do prédio.

Se você não quis o creme de abacate do mercado faça um reforço porque a seguir você conhecerá o que é uma legítima “lomba” portoalegrense, trata-se daquele fenômeno natural  que no Brasil se chama ladeira, prepare-se!
Retorne até a Rua João Manoel e suba a lomba até a Rua Duque de Caxias,  vivo ainda? Então vamos temos coisas interessantes a conhecer: siga à esquerda e chegaremos no  Solar dos Câmara, construído entre 1818 e 1824, foi a primeira residência de Porto Alegre. Está aberta para visitações durante a semana. Defronte podemos ver o prédio do Memorial do Legislativo, a antiga sede do parlamento gaúcho de 1929, inaugurado em 2010. Em seguida você poderá ver o Palácio Piratini, sede do governo do estado. Ao lado encontramos a Catedral Metropolitana, cuja construção teve início em 1921 e foi dada como concluída em 1986.

Defronte está a Praça da Matriz e em seu entorno, da esquerda para a direita, a Assembléia Legislativa, o Tribunal de Justiça, o Palácio do Ministério Público, antigo Palácio provisório ou Forte Apache, construído entre 1857 e 1871, hoje atual sede do gabinete do Procurador-geral de Justiça e Memorial do Ministério Público do RS  Se for o último sábado do mês aproveite para fazer a visita “Os Caminhos da Matriz” previsto para iniciar às 14h, com visitas guiadas em que será contada a história de cada palácio, pretende valorizar os “Tesouros da Praça”.
Para encerrar com chave de ouro desça a praça até o Complexo Cultural Teatro São Pedro e Multipalco  tome um café no teatro ou almoce no restaurante Du’Attos, no Multipalco,  aproveite ainda e veja se não há algum espetáculo para assistir.  (duração 3 horas)

Cansou? Então deixe-se ser levado ou de barco ou de ônibus prá passear:

Ônibus Linha Turismo: vem permitindo ao público conhecer as belezas e atrativos da capital gaúcha ou redescobrir os detalhes e história das ruas e recantos por onde os porto-alegrenses transitam todos os dias. O ônibus possui o segundo andar aberto, é equipado com sistema de áudio em três idiomas (Português, Inglês e Espanhol), câmeras de segurança e janelas panorâmicas. A porta central do veículo possui acessibilidade universal e está servindo de referência para implantação de outras iniciativas similares, no Brasil. A Linha conta ainda com Guia de Turismo credenciado no Ministério do Turismo, especializado e bilíngüe.

Passeio de Barco no Guaíba: Curta um passeio Fascinante. Durante uma hora, deixe-se envolver em um raro cenário de Porto Alegre, através das águas do Guaíba e suas ilhas. Terças a sextas as 10h30, 15h e 16h30min. Sábados, domingos e feriados às 10h30min, 15h, 16h30min e 18h. R$18,00 adulto e crianças de 5 a 10 anos pagam 50%. (necessário mínimo de 20 pessoas para viabilizar, ou domingo às 15 horas com qualquer número de pessoas)

Sobre o Autor