A invenção do “Portunhol”

As interferências do Português na Aprendizagem do Espanhol

Um dia precisava ligar para um hotel no Chile e não tive receio, mesmo usando meu “portunhol básico”, lá fui eu “hablar” com a atendente, minha nossa que dificuldade! Nisso passa meu filho na sala e me diz: “Mãe não adianta fazer sotaque, precisa saber falar!”

Percebi então que o meu “portunhol” à distância não permitia me comunicar adequadamente, desde lá procurei curso de idiomas antes das minhas viagens.

Olha só o que as escolas de idiomas têm dito a respeito:

“O interesse pela aprendizagem da língua espanhola em todo Brasil devido ao MERCOSUL tem crescido gradativamente. No caso do ensino do espanhol no Brasil, por exemplo, o número de cursos destinados à aprendizagem dessa língua tem crescido anualmente para suprir as necessidades de trocas de informações entre o Brasil e seus vizinhos hispânicos.”

Já a coordenadora do curso de espanhol em Florianópolis: comenta: “em minha prática como professora de língua espanhola para brasileiros, pude observar que muitas pessoas não acreditam que haja a necessidade de se aprender formalmente o espanhol em um curso de línguas ou em disciplinas instrumentais de cursos de graduação, ou ainda que aprender espanhol é muito mais fácil do que aprender qualquer outra língua como o inglês, o alemão, etc. As pessoas justificam essas afirmações pelo fato de que as duas línguas (o português e o espanhol) são muito parecidas, que se entende perfeitamente o que os falantes nativos de países fronteiriços dizem e que é possível se comunicar no Uruguai ou em qualquer outro país que fale espanhol como língua materna com o conhecido Portunhol, De fato, como se pode constatar na literatura especializada, o espanhol e o português são o par de línguas latinas mais próximas. Em contrapartida, o que se tem observado em pesquisas é que a semelhança entre as duas línguas ajuda no estágio inicial da aquisição, mas prejudica em níveis mais avançados, gerando a aquisição de uma Interlíngua e não a da língua espanhola.”

“O uso inadequado dos falsos amigos, também conhecidos como falsos cognatos ou heterossemânticos, são exemplos bastante frequentes de relatos de pessoas que acreditavam que se comunicariam usando o Portunhol”, ensina uma professora do curso de espanhol em Goiânia. Como falsos amigos, entende-se palavras normalmente derivadas do latim, que têm, portanto, a mesma origem e aparecem em diferentes idiomas com ortografia semelhante ou idêntica, mas com significados diferentes e foi uma constatação dos estudos realizados pela Análise Contrastiva.

Portanto sempre é tempo de se atualizar e investir em um bom curso de idiomas, ainda mais o espanhol que atualmente é a terceira língua mais usada na internet depois do inglês e do mandarim. É também a segunda língua mais estudada e a segunda língua da comunicação internacional, depois de inglês, em todo o mundo.

Sobre o Autor